..:: [Pesquisa] ::..

..:: [Translate] ::..

quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Jornalista é o maior apresentador da história do espetáculo

#MarceloFurtado
#MarceloFurtado

Num universo de grandes nomes Marcelo Furtado apresenta a encenação da Vila de São Vicente pela décima vez e tornando-se o maior apresentador da história da Cidade em número de participações.

Em um universo que conta com diversos artistas renomados como, por exemplo, os diretores Roberto Marchese, Amaury Alves, Taná Correa que acumulavam está tarefa até meados de 1996, Marcelo Furtado dividiu este posto com grandes nomes do cenário regional como, por exemplo, o jornalista Douglas Gonçalves e o apresentador Rogério Jardim.

Marcelo esteve à frente do posto de mestre de cerimônias do espetáculo em diversas gestões e ressalta a confiança dos prefeitos e secretários de cultura com os quais trabalhou. A primeira oportunidade veio na gestão do prefeito Tércio Garcia.

De lá pra cá Marcelo carimbou sua participação levando entusiasmo e animação para a plateia nos anos de 2009 a 2013 e 2016 a 2020!

Ao ser perguntado de onde vem à inspiração para passar a emoção ao microfone ele explica:

Dou uma volta nos grande elenco onde ficam os atores da comunidade, é impossível sair de lá desanimado, a garra desses atores é o combustível para a emoção, a criatividade do povo vicentino é inenarrável por mais emoção que passe não tem nada que se compare ao orgulho que esses atores da comunidade nos passam, é impossível sair de lá sem ficar com a alma renovada do orgulho de estarmos na primeira Cidade onde o Brasil começou.

Marcelo ainda explica que a função de mestre de cerimônias vem desde a Grécia antiga onde as grandes batalhas eram apresentadas por este tipo de profissional. Ao longo do tempo no Oriente médio e nos tempos atuais a função se destaca como um porta voz dos governos. 

“Fazemos o esquenta e o final do espetáculo”...

Apresentar o CAPITÃO MOR de toda a nossa historia Martim Afonso pela décima vez é uma honra!


segunda-feira, 10 de agosto de 2020

“Internet pro bem” se torna livro voltado para a conscientização das pessoas acerca do uso responsável das redes sociais

Jornalista Marcelo Furtado de São Vicente aposta na conexão responsável para fazer um mundo melhor.

Fake News, estelionato amoroso, brigas de família, amizades desfeitas, pedofilia, exposição de fotos, famílias corrompidas, golpes financeiros, perda de emprego e de oportunidades são exemplos de situações de risco que estamos sujeitos a vivenciar enquanto conectados à internet de forma desatenta. Essas e outras ameaças virtuais são abordadas em quase 30 histórias relatadas no livro.

Com o título “Internet pro Bem”, o jornalista Marcelo Furtado, de São Vicente (SP), transforma um projeto iniciado por “lives” (compostas por ações mútuas de benfeitorias sociais, existente há 4 anos e veiculado pelo facebook) numa coletânea de histórias relatadas ao autor em forma de desabafo por pessoas que acompanhavam a página “Internet pro Bem”.

“A pandemia de uma maneira muito dolorida nos obrigou a aprender que a internet quando usada para o bem pode potencializar as diversas formas de ajudar ao próximo, desde coisas mais básicas que antes não dávamos valor e ficávamos discutindo e brigando nas redes. Podemos unir mundos, emprestar mais, consumir menos, ter mais economia, mais agilidade na resolução de problemas no nosso cotidiano e nas instituições de forma integrada. Tenho a impressão que algumas pessoas estavam ou ainda estão se perdendo no ambiente virtual, usando a rede para disseminar situações negativas, de discórdias, de fraudes, trapaças, propagando situações que, em alguns casos, prejudicam de verdade na vida real. Então o livro vem com a proposta de, efetivamente, fomentar essa conscientização”, ressalta o autor.

Nessa primeira tiragem o jornalista doou todos os direitos autorias do livro para a Associação CRERES, que auxilia dependentes químicos na área continental de São Vicente. Como não será possível fazer um lançamento presencial ainda por conta da pandemia, quem tiver interesse de ter acesso à obra deve solicitar um exemplar por família por meio do telefone da Associação (13) 98881-5512.

Marcelo ressalta que seu único objetivo é que as pessoas se atentem à importância do conteúdo dos assuntos relatados no livro, propagando e disseminando conhecimentos, a fim de facilitar a conscientização da sociedade conectada à tecnologia e informação de fácil acesso.

sexta-feira, 26 de junho de 2020

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Megaferiado no estado de São Paulo e na capital paulista

Jornal A Tribuna,
de Santos (SP)
(06.06.2020)
Por: Aristides Faria, professor do Instituto Federal de São Paulo (Câmpus Cubatão)



A antecipação de feriados municipais na capital paulista, assim como de feriado estadual em São Paulo entre os dias 20 e 25 de maio passado geraram profundos debates na sociedade.


Ocorre que, ainda que a taxa de distanciamento social registrada no período na capital tenha se mantido acima dos 55%, receio que os municípios turísticos paulistas possam ter sofrido impacto negativo destas ações.

Enquanto profissional da área de turismo e morador de Santos, discuti com pares e familiares sobre a importância da adoção de estratégias que desmotivem a circulação para o litoral e interior do estado.

Hoje (04/06), ao final do período de incubação estimado para a COVID-19, lemos manifestações de incompreensão quanto a manutenção de diversos municípios e regiões do entorno da capital na zona vermelha, no contexto do Plano SP vigente.

Pergunta...

O megaferiado guarda relação direta com os atuais índices observados no litoral e interior do estado?

A politização da gestão da saúde pública e áreas correlatas – turismo e mobilidade, por exemplo – nos faz incorrer em velhos e ledos (?) enganos.

Vejo com bons olhos a mobilização dos prefeitos por meio do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (CONDESB) e outros comitês, mas noto pouca interdisciplinaridade, o que poderia acontecer por meio da efetiva e pública ação das câmaras temáticas... ao menos daquelas verdadeiramente operantes.

Cordiais saudações!

Observatório do Turismo | SIGESTur

Observatório do Turismo | SIGESTur
Sistema de coleta de dados